EU GOSTO DO SIMPLES: UM ABRAÇO, UM OBRIGADA E UM CUIDE-SE

 

 

Eu gosto do simples: um abraço, um obrigado, um “cuide-se”. Considero-me um fiel admirador de pessoas simples, porque para mim são as mais belas, aquelas que se deixam guiar pelo bom senso, pela sua intuição e por aquele coração que não conhece artifícios.

É curioso e inspirador saber que, atualmente, tanto nas abordagens de desenvolvimento pessoal quanto no campo das grandes organizações, tornou-se moda “resgatar” o valor do simples. De fato, muitos especialistas em marketing e publicidade têm um lema que quase nunca falha “simplifique e algo acontecerá”.

Gosto do cheiro das pessoas comuns, é a fragrância de respeito, um “bom dia” com um grande sorriso, um “ter cuidado” com grande sinceridade … Sem falsidade em sua bela parece ainda menos em suas almas

 

 

Antonio Machado disse “que é típico de homens com cabeças pequenas atacar tudo o que não cabe em suas cabeças”. É sem dúvida um bom exemplo para descrever este tipo de personalidades para quem as coisas simples não têm significado. Eles confundem o simples com “o simplista”. Agora, a simplicidade não tem nada a ver com os ingênuos e menos com os tolos.

Na verdade, esse conceito contém um grande poder do qual quase não estamos cientes.

 

A beleza da simplicidade em atos cotidianos

 

 

Muitas vezes, muitas vezes se diz que a vida é como uma teia de aranha. Nossas linhas são misturadas em ângulos estranhos, tomamos caminhos errados, nossos esforços não correspondem ao que foi alcançado e, em última análise, foram anexadas a estas realidades assustadoramente complexos e assustadores.

Por que nos custa muito nos deleitar com a simplicidade dos atos cotidianos? Por que a vida é tão complicada? De certa forma, tem muito a ver com o que indicamos há pouco. A alma simples e o olhar humilde são dimensões que não se encaixam muito bem em uma sociedade que associa o complexo ao efetivo e, consequentemente, a felicidade.

Vendemos computadores com muitos programas, movendo-se com infinitas aplicações, as lojas oferecem-nos infinitos tipos de tratamento do cabelo, e cada dia nos lembram que o que é bom ter muitos estudos, muitos títulos, muitos amigos … A complexidade associada a este ideia de felicidade dourada que, na realidade, nem sempre é cumprida.

 

 

Algo que devemos ter em mente é que as coisas grandes acontecem quando os pequenos se saem bem e, para isso, nada melhor do que praticar a arte da simplicidade em nossos atos diários.

Movendo-se com calma, estar ciente do que nos rodeia e fazendo uso do senso comum e da intuição são, sem dúvida, as melhores estratégias para desfazer cada nó de nossas complexidades vitais. Devemos confiar um pouco mais em nosso instinto e sermos receptivos à voz do coração.

Às vezes, deixamos passar boa parte de nossa “cota de vida” imersa em esforços frustrados que nos separam completamente do que realmente queremos. Portanto, lembre-se que a complexidade não deve ser admirada, deve ser evitada, porque a arte de saber quais coisas devemos ignorar será a única maneira que nos permitirá encontrar o que realmente merecemos.

 

 

Fonte Namastê e Gratidão

Gostou? Deixe seu comentário e Compartilhe com os amigos.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: