ALIMENTOS PARA SAIR DA DEPRESSÃO

 

 

 

Alimentos como espinafres, banana, tomate e nozes são alguns dos alimentos que podem ajudar a sair da depressão, pois vão completar o tratamento ajudando a aumentar os níveis de Serotonina no sangue, um hormônio do cérebro responsável pela felicidade, bem-estar, sensação de prazer e estabilidade emocional.

Em pessoas com depressão os níveis deste hormônio geralmente encontram-se extremamente baixos, sendo essencial para o tratamento da depressão ajudar o corpo a aumentar a produção deste hormônio. Veja quais os principais sintomas da depressão em Como diferenciar a tristeza da depressão.

 

 

Banana e Abacate

 

A banana e o abacate são alimentos que ajudam a aumentar os níveis de Serotonina no corpo, pois são alimentos ricos em triptofano, um aminoácido que ajuda a formação de serotonina e que proporciona uma sensação de bem-estar. Este alimentos devem ser consumidos logo pela manhã se possível, para que o seu efeito se prolongue durante o dia.

 

 

 

 

Abacaxi e Ameixa

O abacaxi e a ameia são outros dois alimentos ricos em triptofano, que auxiliam na formação de serotonina no corpo, ajudando a reduzir a intensidade dos distúrbios do humor e emocionais, característicos dos estados depressivos.

Além disso, o abacaxi é um alimento rico em água e que facilita a digestão e a ameixa um alimento rico em fibras que funciona como laxante natural, o que faz com que estes alimentos ajudem a regular o intestino, evitando a prisão de ventre. A prisão de ventre é um problema que pode afetar as pessoas com depressão, uma vez que existe a tendência para a perda de peso, sendo algumas vezes a alimentação menos saudável e menos equilibrada.

 

Tomate

 

O tomate é um excelente alimento que ajuda a aumentar os níveis de Serotonina e a combater a depressão, além de ser um alimento rico em licopeno e antioxidantes, que ajuda a promover o bem-estar psicológico e a saúde física. Além disso, alguns estudos indicam também que o tomate ajuda a prevenir o aparecimento da depressão e dos sintomas depressivos.

 

 

Nozes

 

As nozes são um alimento rico em triptofano e em ômega 6, o que faz com que ajudem na formação de serotonina e que ajudem a melhorar o funcionamento do cérebro, contribuindo assim para a saúde mental.

 

Espinafre

 

O espinafre é um alimento que ajuda a regular o humor, o sono e o apetite, o que ajuda a diminuir os sintomas da depressão, uma vez que entre os principais principais sintomas desta doença está o humor depressivo, a perda de apetite e problemas de sono como insônia. Veja que receitas podem ser preparadas com espinafres em Espinafre combate a depressão.

 

 

Todos estes alimentos devem ir sendo ingeridos ao longo do dia, em pequenas porções e o seu consumo deve ser sempre acompanhado por um nutricionista. Além disso, o chocolate é outro alimento que aumenta a produção de Serotonina, proporcionando uma sensação de bem-estar e de prazer porém, este alimento deve ser consumido com moderação, sendo recomendado apenas 1 quadradinho por dia.

 

 

A depressão é uma doença difícil de combater, que exige um grande esforço, dedicação e paciência e além do tratamento com remédios antidepressivos como Fluoxetina ou Sertralina e sessões de psicoterapia com o psicólogo, a alimentação pode assim também ser um forte aliado que pode ajudar a vencer este problema.

Veja outros alimentos utilizados para combater a depressão e saiba também o que evitar comer para controlar essa doença.

ALECRIM E SÁLVIA: CONTRA ESTRESSE E PERDA DE MEMÓRIA

 

 

Juntar, em um só lugar, os benefícios da sálvia e do alecrim, pode ser um ótimo auxílio para você que está “meio esquecida” de tanta correria e cansaço – sim, o estresse causa, muitas vezes, problemas de memória, por puro esgotamento.

Mas, claro, esse não é um remédio caseiro que possa tratar casos graves de desmemorização então, investigue o que é que está provocando o sintoma em você, exclua outros fatores patológicos, com a ajuda de um médico de confiança, antes de lançar mão das garrafadas que os povos antigos sempre usaram.

O uso da sálvia e do alecrim, duas plantas consagradas há séculos nas medicinas populares, já é objeto de diversos estudos científicos (leia este, este e este artigo) e, especificamente, na sua atuação sobre a memória e o estresse.

 

Modo de Usar e Fazer

 

Você vai precisar de:

* 1 litro de vinagre de maçã (de boa qualidade) ou de 1 litro de vinho seco (tinto ou branco)

* 2 colheres de sopa de folhas de alecrim

* 2 colheres de sopa de folhas de sálvia picada

* 100 ml de mel puro de abelhas (se for diabético, deixe o mel fora da receita de elixir).

Preferencialmente use ervas frescas mas, se tal não for possível, faça o elixir com as desidratadas e reduza à metade a quantidade (mas, que sejam ervas de boa procedência, bem embaladas, e que tenham aroma, indicativo de que ainda estão novas).

Lave bem as ervas, deixe-as secar completamente e coloque-as em uma garrafa de vidro escuro. Junte todo o vinagre e, no final, o mel. Essa garrafa deverá ficar tampada, em local escuro, por 15 dias. De tempos em tempos, sacuda a garrafa para misturar o seu conteúdo.

Depois de pronto, coe o conteúdo e o líquido resultante você deverá tomar, diariamente – 3 colheres de sopa com um pouco de água (pode tomar tudo junto ou dividir a dose pelo dia).

 

ALECRIM, BOM É PARA A MEMÓRIA, O BOM HUMOR, A LONGEVIDADE

 

 

O alecrim é um poderoso estimulante orgânico e mental que atua, curativamente, no estresse e ansiedade. No entanto, para algumas pessoas, o alecrim pode causar hipertensão – observe o seu organismo e decida se é este o seu caso. Se você não sabe ainda, se tem sensibilidade exagerada com o alecrim, experimente tomando um chazinho desta erva.

 

 

 

 

A SÁLVIA E AS SUAS PROPRIEDADES

 

A sálvia é riquíssima em flavonoides que estimulam as funções cerebrais e têm efeitos positivos sobre os neurotransmissores que afetam o nosso humor – fazer uso rotineiro da sálvia, como óleo, extrato ou chá, é um bom remédio para quem está meio deprimido. E, a ação da sálvia na memória tem a ver com o seu conteúdo em hispidulina, substância que interage com as células cerebrais formando um neurotransmissor, GABA – ácido gama-aminobutírico, que atua na cognição e estados de ânimo.

CASA DE REPOUSO? ASILO? NÃO.. É COABITAÇÃO COM AMIGOS

Adeus casas de repouso e asilos! A nova tendência é coabitação com amigos – Senior Cohousing

 

 

Os lares de idosos têm sido a única opção real disponível para idosos, idosos aposentados que não podem mais morar sozinhos, mas também não têm família por perto que possa adicioná-los ao seu lar. Apesar do fato de que esta é uma opção comum, ninguém gosta de encarar a decisão de ter que se mudar  para uma casa de repouso potencialmente solitária e pouco acolhedora. É isso que faz com que essa nova evolução na moradia de idoso, a Senior Cohousing (Coabitação), seja uma ótima alternativa!

A proposta do conceito cohousing sênior, nada tem a ver com casas de repouso para a terceira idade ou hotéis especializados em receber esse público. O projeto consiste em um grupo que opta por abrir mão dos modelos de residência tradicionais para unir moradia individual a um espaço comunitário.

No Brasil já temos diversos empreendimentos neste formato, inclusive em João Pessoa , a prefeitura fez para os idosos acima de 60 anos, com 50 casas cada empreendimento neste formato.

 

 

Há, nesse ideal, pequenas habitações de uso particular (dormitório, minicozinha e banheiro) e uma área de uso comum com espaços de lazer, refeitório, salas de TV e lavanderias coletivas, por exemplo. Tudo em um mesmo terreno (uma gleba de terra) ou condomínio projetado para estimular o convívio, a sustentabilidade e a solidariedade.

Já sucesso de público e crítica na Dinamarca, EUA e Espanha, o conceito, que não é restrito à comunidade sênior – o filósofo grego Epicuro falava dele e difundiu seus propósitos três séculos antes de Cristo –, vem, aos poucos, chegando ao Brasil.

Segundo especialistas, o modelo cohousing sênior é um reflexo do que vem ocorrendo em todo o planeta: aumento da expectativa de vida da população e, com isso, o surgimento de uma comunidade madura cada vez maior, autônoma, ativa e carente de soluções para anseios e demandas.

 

 

 

Benefícios do Cohousing Senior em comparação com lares de idosos

 

Ambas as casas, tanto de repouso quanto cohousing sênior, têm suas listas de prós e contras. É importante considerar todos os pontos positivos e negativos antes de tomar a decisão de usar uma delas. Todo idoso tem necessidades e exigências únicas, muitas das quais as tornam mais adequadas para um tipo de casa do que para outro. Então faça sua pesquisa, entenda suas opções e tenha em mente os prós e contras básicos! Aqui estão alguns aspectos a serem considerados:

 

1. Comunidade

 

 

A coisa legal sobre os lares de idosos e cohousing sênior é que ambos fornecem comunidade e eventos para os moradores para desfrutar. Oportunidades sociais são comuns em lares de idosos e coabitação sênior. O que torna a coabitação sênior tão atraente, no entanto, é que os idosos são facilmente capazes de ter seus próprios amigos próximos por perto, em vez de uma sala cheia de estranhos.

 

2 – Privacidade

 

 

Enquanto os lares de idosos e a cohousing sênior oferecem residência privada, a cohousing sênior tem um pouco mais de privacidade. Isso porque os residentes não são colocados em locais tão próximos uns dos outros. Você pode ter sua própria casa ou apartamento com cohousing sênior, enquanto casas de repouso tendem a oferecer quartos menores muito mais perto

 

3 – Despesas e cuidados

 

Um ponto negativo dos lares de idosos é a despesa que eles acarretam. Os lares de idosos tendem a ser instalações de tempo integral, com pessoal bem treinado e muito cuidadoso. No entanto, tudo isso tem um preço. A coabitação sênior acaba sendo mais barato já que muitos dos moradores compartilham recursos.

Os lares de idosos, muitas vezes têm cuidadores mais experientes e atenciosos. Ambas, as casas de repouso e a coabitação sênior, são mais seguras do que um idoso que mora sozinho, mas uma boa casa de repouso com boa equipe pode ser mais atenta do que uma vizinha observadora em uma comunidade sênior de coabitação.

A Cohousing sênior – coabitação, pode não ser para todos, mas é definitivamente uma oportunidade maravilhosa para muitos idosos. Especialmente se eles acham que a idéia de um asilo é triste, solitária ou deprimente . A coabitação sênior permite que os idosos mantenham algum controle sobre o que fazem, estabeleçam seus próprios horários e mantenham suas próprias amizades.

Pode ser o ajuste perfeito para muitos idosos que não precisam de cuidados constantes!

Fonte: Envelhecer com Estilo

EU GOSTO DO SIMPLES: UM ABRAÇO, UM OBRIGADA E UM CUIDE-SE

 

 

Eu gosto do simples: um abraço, um obrigado, um “cuide-se”. Considero-me um fiel admirador de pessoas simples, porque para mim são as mais belas, aquelas que se deixam guiar pelo bom senso, pela sua intuição e por aquele coração que não conhece artifícios.

É curioso e inspirador saber que, atualmente, tanto nas abordagens de desenvolvimento pessoal quanto no campo das grandes organizações, tornou-se moda “resgatar” o valor do simples. De fato, muitos especialistas em marketing e publicidade têm um lema que quase nunca falha “simplifique e algo acontecerá”.

Gosto do cheiro das pessoas comuns, é a fragrância de respeito, um “bom dia” com um grande sorriso, um “ter cuidado” com grande sinceridade … Sem falsidade em sua bela parece ainda menos em suas almas

 

 

Antonio Machado disse “que é típico de homens com cabeças pequenas atacar tudo o que não cabe em suas cabeças”. É sem dúvida um bom exemplo para descrever este tipo de personalidades para quem as coisas simples não têm significado. Eles confundem o simples com “o simplista”. Agora, a simplicidade não tem nada a ver com os ingênuos e menos com os tolos.

Na verdade, esse conceito contém um grande poder do qual quase não estamos cientes.

 

A beleza da simplicidade em atos cotidianos

 

 

Muitas vezes, muitas vezes se diz que a vida é como uma teia de aranha. Nossas linhas são misturadas em ângulos estranhos, tomamos caminhos errados, nossos esforços não correspondem ao que foi alcançado e, em última análise, foram anexadas a estas realidades assustadoramente complexos e assustadores.

Por que nos custa muito nos deleitar com a simplicidade dos atos cotidianos? Por que a vida é tão complicada? De certa forma, tem muito a ver com o que indicamos há pouco. A alma simples e o olhar humilde são dimensões que não se encaixam muito bem em uma sociedade que associa o complexo ao efetivo e, consequentemente, a felicidade.

Vendemos computadores com muitos programas, movendo-se com infinitas aplicações, as lojas oferecem-nos infinitos tipos de tratamento do cabelo, e cada dia nos lembram que o que é bom ter muitos estudos, muitos títulos, muitos amigos … A complexidade associada a este ideia de felicidade dourada que, na realidade, nem sempre é cumprida.

 

 

Algo que devemos ter em mente é que as coisas grandes acontecem quando os pequenos se saem bem e, para isso, nada melhor do que praticar a arte da simplicidade em nossos atos diários.

Movendo-se com calma, estar ciente do que nos rodeia e fazendo uso do senso comum e da intuição são, sem dúvida, as melhores estratégias para desfazer cada nó de nossas complexidades vitais. Devemos confiar um pouco mais em nosso instinto e sermos receptivos à voz do coração.

Às vezes, deixamos passar boa parte de nossa “cota de vida” imersa em esforços frustrados que nos separam completamente do que realmente queremos. Portanto, lembre-se que a complexidade não deve ser admirada, deve ser evitada, porque a arte de saber quais coisas devemos ignorar será a única maneira que nos permitirá encontrar o que realmente merecemos.

 

 

Fonte Namastê e Gratidão

PARA SER FELIZ VOCÊ TEM QUE IGNORAR MUITAS PESSOAS

 

 

Muitas vezes, manter-se longe de pessoas difíceis não é apenas uma questão de conforto, mas de saúde mental. Há atitudes que nos desequilibram tanto, que nos bloqueiam e nos impedem de nos sentirmos realizados, submetendo nosso bem-estar emocional a seus desejos.

Todos sabemos que nossas relações nem sempre nos trazem algo positivo, ainda que realmente esperamos. Apesar de sermos conscientes disso, não custa percebermos que estamos alimentando trocas tóxicas.

“Ou seja, nos parece algo “bobo” e inconsistente mas, no entanto, não podemos fugir da realidade. Sacrificar nosso bem-estar por outros é a ordem do dia para muitos de nós.”

Então, enfrentamos o triste panorama de vivermos submetidos a relacionamentos insanos ​​com pessoas que não nos fornecem sinceridade e boas emoções. Ou seja, trocas cheias de interesses e egoísmo. Portanto, a fim de crescermos, temos de aprender a ignorar certas pessoas em determinadas alturas.

 

O que devemos ignorar para sermos felizes?

 

“As situações a partir das quais devemos começar a dar a nossa ausência são variadas. Normalmente, podemos facilmente reconhecer o que nos perturba, mas em outras ocasiões, isso pode ser mais demorado.”

Conhecê-las vai te ajudar a tomar consciência da realidade, e pode até mesmo ajudar a antecipar estas questões para que possamos impedi-las de fazerem-nos mais mal do que o inevitável. Dito isto, veremos mais de perto o que temos de aprender a ignorar:

 

1. As críticas dos outros. Ninguém pode nos afetar sem nosso consentimento. Em outras palavras, somos nós que validamos às opiniões dos outros. O que os outros pensam sobre as nossas escolhas não deveria nos preocupar, porque é muito provável que nós nos confundimos com o que fazem.

2. A criação de inseguranças. Há pessoas que pensam que são especialistas na vida. Isto acaba criando, consciente ou inconscientemente, inseguranças e pequenas frustrações nas pessoas ao seu redor. Tente ignorar esse tipo de atitude, só vai levar à frustração.

 

 

3. Preocupar-nos com o que não podemos controlar. Se estamos preocupados sobre como essa pessoa vai agir ou o que fazer ou dizer, algo está errado. Então, as pessoas não devem deliberadamente nos ferirem e não devemos ficar preocupados se vão ou não nos respeitar. Se isso acontecer, é melhor ficar longe dessa pessoa.

4. Comparações obsessivas. É ótimo que as pessoas triunfem e tenham sucesso, mas não para que façam os outros sentirem-se insignificantes. Portanto, siga se concentrando no que você pode fazer para continuar a crescer, e se lembre que o que você recebe depende em grande parte do que você acredita.

5. Interesses e egoísmo. Nem todo mundo está te ajudando como finge estar. Comece a desativar a realidade e analisar em que lado o caminho se inclina. Se houver um equilíbrio, isso significa que há uma harmonia no seu relacionamento; se em vez disso não existir, algo está errado.

 

Dê a sua ausência a quem não valoriza sua presença

 

 

“Dê a sua ausência e indiferença a quem não te valoriza; mas não de qualquer maneira, ausente-se emocionalmente. Não como uma forma de vingança, mas como uma maneira de proteger-se.”

Temos de perceber que ao longo do tempo a imagem que temos das pessoas podem mudar, o que implica que desconheceremos aqueles que pensávamos conhecer.

Às vezes, nos damos conta tarde demais que tudo o que fizemos por que alguém tem sido ignorado ou menosprezado no terreno emocional. É possível que nos sintamos decepcionados e percebamos que a outra pessoa não moveu um dedo por nós.

Conseguir não ser afetado pelas ações de outra pessoa atua como um bálsamo. Pode ser caro no início, mas os resultados começam a fazerem-se presentes rapidamente em nossa saúde emocional.

“Na verdade, quando somos capazes de fazer isso, percebemos que é um verdadeiro prazer ouvir sem que nada atrapalhe nosso diálogo interior.” Liberte-se

 

 

Fonte – Namaste e Gratidão